O Ministério da Educação dá passos para uma ditadura na educação brasileira: “O sistema único de educação”

Na última terça-feira, dia 31 de maio de 2016, a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados em Brasília convocou um Seminário sobre a Base Nacional Curricular Comum – BNCC.
Um dos debatedores foi o Pe. Dr. José Eduardo de Oliveira e Silva, Professor de Teologia Moral e estudioso dos temas de educação.

Em entrevista à ZENIT, o sacerdote explicou com mais detalhes a tentativa de implantar um “sistema único de educação”, que eliminaria totalmente a liberdade das escolas e daria o poder ilimitado ao MEC de ensinar, na prática, qualquer ideologia para todas as crianças do Brasil. Acompanhe a entrevista abaixo:

Números sobre aborto mostram pontos fracos da legalização como alternativa

Índices de outros países apontam que legalizar o aborto nem sempre traz mais garantias à vida da mãe
Os defensores da legalização do aborto costumam dizer que a medida seria uma forma de enfrentar a mortalidade de mulheres como problema de saúde pública. A petição inicial da ADPF 442, que busca a descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação perante o Supremo Tribunal Federal (STF), apela para esse argumento, mas de forma seletiva. Há diversos casos no mundo em que os números mostram que a legalização do aborto não tem uma correlação segura com baixos índices de mortalidade materna ou com a redução destes.

As autoras da ADPF 422 destacam a questão da saúde quando dizem que “estudos recentes estimam que entre 8 e 18% de mortes maternas no mundo decorram de abortos inseguros, e estão concentradas em países pobres” e que “cerca de metade das mulheres que fez um aborto ilegal no país [Brasil] precisou ser internada”. A primeira constatação desconsidera os dados que mostram que é a falta de investimento na saúde básica, e não a legalização do aborto, o fator preponderante na redução dos índices de mortalidade materna. A segunda afirmação, quando analisada com cuidado, revela inconsistências com o suposto número de abortos ilegais que se alardeia no país.

Aborto: Temer considera que direito do nascituro prevalece sobre o da gestante

Juristas analisam a posição do presidente da República sobre a descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
O posicionamento do presidente Michel Temer sobre o aborto, divulgado extraoficialmente no início desta semana, fortalece os movimentos pró-vida no Brasil. Segundo trechos da nota técnica, divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo, o presidente da República defende que a vida do bebê deve prevalecer sobre o interesse da gestante. Ele também teria ressaltado que decisões sobre o tema cabem ao Congresso Nacional.

O mistério Trump

O mistério Trump explica-se pelo paradoxo que melhor o define: a arrogância da esquerda num político de direita. Há razões para crer que a América ‘si muove’ e, com ela, o mundo.

A missão da teologia é explicar mistérios. Alguns, como a trindade e a eucaristia, são sobre Deus; outros dizem respeito ao mundo, como os da sua origem e do seu fim; e outros ainda referem-se aos homens e à sua misteriosa capacidade do bem e do mal. Cada ser humano é um mistério, mas alguns há que o são mais do que outros: é o caso de Donald Trump, o atual presidente dos Estados Unidos da América.

​A ganância é sempre ingrata

A vontade de querer ter tudo é insaciável onde não há espaço para qualquer tipo de dádiva. A pessoa gananciosa é cega em relação ao que já tem e ao que já é. Apenas olha para o que não tem. A ganância é uma tristeza que não reconhece as razões do que seria uma alegria...

Quantos de nós temos consciência do que já conseguimos ter e ser?

Disqus for Peque Monge Agostiniano